comprar um celular usado

O que fazer ao comprar um celular usado e quais cuidados ter na hora de analisar a qualidade do aparelho?

Comprar um celular usado é uma das alternativas mais escolhidas por quem deseja trocar de celular por um preço mais em conta. Afinal, por se tratar de um aparelho que já foi usado, o valor costuma ser bem abaixo do praticado no mercado. Mas você sabe o que fazer ao comprar um celular usado?

Embora muitas pessoas acreditem que celulares usados são aparelhos com defeitos ou até problemas estéticos como tela riscada ou trincada, em alguns casos é possível encontrar um aparelho de boa qualidade e com pouco tempo de uso, dependendo da sua sorte e conhecimento na hora de comprar um aparelho de segunda mão.

Para que você não tenha dores de cabeça e prejuízos depois de adquirir um smartphone usado, separamos um post completo explicando mais sobre o assunto. Confira!

O que fazer ao comprar um celular usado?

Procure vendedores de confiança

Hoje em dia a internet está cheia de pessoas que querem aplicar golpes, especialmente no universo de eletrônicos, já que o mercado cresce cada dia mais. O primeiro passo para garantir um celular de qualidade é procurar por vendedores que sejam confiáveis, como sites específicos em venda de celular usado ou vendedores de sites como Enjoei, OLX e Mercado Livre que tenham uma boa reputação no site.

Peça a nota fiscal, caixa e acessórios originais

Sempre que você for comprar um smartphone usado, exija a nota fiscal para a loja ou vendedor. Uma dica é pedir para que a pessoa que está te vendendo o smartphone solicite outra nota fiscal na loja em que adquiriu o produto, especialmente se a compra tiver sido feita em lojas online.

prefira aparelhos que têm a caixa original
prefira aparelhos que têm a caixa original

Isso porque é muito comum que hoje em dia os golpistas vendam celulares roubados, e um dos indícios de que o aparelho pode não ter sido comprado e sim furtado é a falta de nota fiscal pelo vendedor.

A estimativa da Polícia de São Paulo é que os roubos de celulares aumentaram aproximadamente 47% em maio deste ano, e em muitos casos, você pode acabar comprando um produto que está bloqueado ou rastreado pela polícia.

Além disso, fique de olho nos acessórios originais, já que imitações de carregadores e fones de ouvido podem acabar danificando as entradas, além de em alguns casos não desempenhar a função como deveria. Alguns carregadores piratas, por exemplo, não carregam o celular da forma correta mesmo depois de horas na tomada.

Desconfie de valores muito abaixo do praticado em lojas

Preços muito abaixo do normal podem significar três coisas diferentes: que o celular é roubado, que é uma réplica ou que tem algum defeito que compromete seu funcionamento. 

Quando estiver conversando com o vendedor a respeito do aparelho, pergunte sobre possíveis problemas técnicos e defeitos, e se informe se o aparelho já esteve no concerto e o que foi arrumado durante o reparo.

Caso você esteja comprando os celulares de um site especializado em vendas de aparelhos usados, normalmente o anúncio irá informar sobre possíveis problemas internos e externos como na bateria ou na tela, por exemplo.

Outra dica é que hoje em dia alguns golpistas usam o termo “celular com problema no leitor do chip” para vender celulares roubados. Isso porque quando o celular é bloqueado por perda ou roubo, ele não aceita o chip de nenhuma operadora, e muitos aproveitadores vendem o celular como se estivessem com problema por preços menores para conseguir algum dinheiro, mesmo que pouco.

Marque a negociação em local público

Especialmente se você estiver fechando negócio com um vendedor pelas redes sociais, peça sempre para que o encontro seja feito em um local público e vá acompanhado para analisar o aparelho antes de fechar a compra. Assim, você se protege de possíveis roubos e até mesmo crimes mais sérios.

Marque o local como uma praça ou shopping e peça o nome, telefone e endereço do vendedor. Uma dica é sempre desconfiar de perfis que não tenham fotos pessoais e que tenham sido criados há pouco tempo.

No dia da negociação, aproveite para testar o celular e checar suas condições de uso.

Teste todas as funções

Teste funções simples como tirar foto, ligar o Wifi, discar algum número e aproveite para colocar um chip para fazer uma ligação.

faça um teste dos recursos do aparelho
faça um teste dos recursos do aparelho

Analise a qualidade da imagem que você tirou para verificar se a câmera apresenta algum defeito, além de ficar atento a modificações no sistema operacional. Isso irá prevenir a compra de celulares com problemas mais sérios que passam despercebidos a olho nu.

Verifique as marcas de impacto

Outra dica é analisar o celular na parte exterior, como a tela – se há trincos ou riscos – e a parte de trás e laterais do celular – se há amassados, rachaduras ou riscos. Isso pode indicar que o celular caiu no chão uma ou mais vezes, o que também pode indicar a possibilidade de danos internos.

Como resultado, o aparelho pode estar frágil demais e não suportar mais uma queda, podendo danificar o sistema interno do celular sem que seja possível consertá-lo.

Caso você não possa marcar um encontro pessoal, antes de fechar negócio peça fotos e vídeos de diversos ângulos e com o celular ligado e desligado. Isso lhe ajudará a ter uma ideia do estado do celular, mesmo que de longe.

Peça garantia

Existem lojas que oferecem garantia de até 2 ou 3 meses após a compra, e você pode negociar com o vendedor a possibilidade de uma garantia de até 30 dias em casos de danos internos. Isso porque alguns problemas podem surgir apenas depois de alguns dias de uso, e caso você não tenha garantia terá que arcar com os custos da assistência técnica.

Depois de ver nossas dicas do que fazer ao comprar um celular usado, não deixe de usá-las na hora de negociar seu novo aparelho. Embora em alguns casos o aparelho vendido possa apresentar problemas sérios, em outros você pode acabar se deparando com um celular semi novo por um preço bastante acessível.